Diminuição de custos operacionais com a biotecnologia no saneamento básico

A biotecnologia no saneamento básico não é apenas uma solução segura para o tratamento de poluentes. Mas ela é também uma forma de diminuir os custos operacionais com esse processo.

Biotecnologia no saneamento básico: uma necessidade no país

O uso e manipulação de microrganismos, apesar de possuir diversas áreas de aplicação, uma das que tem se destacado nos últimos anos é a do saneamento básico.

E essa aplicação torna-se ainda mais importante no Brasil. Pois, como muitos devem saber, o saneamento básico no país é ainda muito precário, a infraestrutura existente não consegue atender a população como deveria. E há muito o que ser feito para remediar a situação. Pesquisas apontam que mais da metade da população brasileira não possui acesso a coleta de esgoto. Ainda, uma pesquisa feita pelo Ministério das Cidades (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS) no ano de 2013, mostrou que mais de 35 milhões de pessoas no Brasil não tem acesso a água tratada.

Muitos governantes deram atenção a outras obras de infraestrutura, mas o saneamento acabou ficando no esquecimento. Devido a isso (poucas redes de esgoto existentes), os resíduos do esgoto acabam sendo enviados para os corpos d´água. E, desse modo, a água acaba sendo contaminada, torna-se impossível de ser utilizada para o abastecimento.

Outro problema é que, por conta do elevado acúmulo residual, especialmente em estabelecimentos comerciais, as redes de esgoto saturam-se. E isso gera problemas não apenas para as concessionárias, mas também para a população. Por isso muitas empresas e a própria população tem apoiado o uso da biotecnologia no saneamento. Uma vez que tem compreendido o elevado benefício que ela proporciona.

Os sistemas que fazem uso da biotecnologia no saneamento traduzem-se o uso de um grupo de microrganismos selecionados, ou mesmo microrganismos modificados geneticamente, tendo como objetivo que eles consumam determinados compostos tóxicos.

Essa é uma solução que também apresenta redução de custos com tratamentos médicos na população, ou seja, aumenta a qualidade de vida. Pois a carência de um saneamento básico adequado gera também problemas a saúde pública.

Segundo dados do BNDS, cerca de 65% dos casos de internações de crianças com menos de 10 anos possui relação com a dificuldade de acesso a água tratada e coleta de esgoto. E dentre os demais benefícios cedidos por ela temos o aumento da capacidade de tratamento desses efluentes e também há a redução de custos no processo.

 

Redução de custos operacionais com o uso da biotecnologia

Atualmente, não apenas as pequenas empresas buscam soluções para a redução de custos, mas esse é um objetivo de empresas de todos os portes. A redução de custos operacionais e a eficiência nos projetos tornou-se um objetivo das empresas. E ambas são encontradas no uso da biotecnologia.

Essa tecnologia, que se baseia na biologia, tem sido aplicada em Estações de Tratamentos de Efluentes (ETEs) e, com êxito, feito o tratamento de águas residuais e de solos contaminados também.

A manipulação de organismos vivos voltados para a o tratamento de efluentes mostra-se como uma excelente opção custo-benefício. Mas além desse benefício, ela ainda traz outros como:

– Redução do consumo de energia;

– Diminuição do uso de químicos;

– Redução dos custos relacionados a sucção, no tocante ao uso de fossas sépticas (unidades de tratamento primário de esgoto doméstico);

– Redução da carga orgânica;

– Entre outros.

No tocante a redução de custos com o uso da biotecnologia no saneamento, esse é um benefício que se torna um atrativo para as concessionárias. Desse modo, estimula-se o uso de uma solução ambientalmente correta.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *